Menu fechado

Estudo mostra o comprometimento das articulações na diabetes

Foram identificadas modificações na formação do colágeno em estruturas de articulações de ratos com diabetes

Um estudo realizado na Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) verificou qual é o comprometimento das articulações em ratos diabéticos. Os pesquisadores constataram formação de tecido fibroso na membrana que produz líquido lubrificante para tendões e cartilagens (sinóvia) e a predominância de fibras finas na rede de colágeno. A partir destes apontamentos, será possível determinar tratamentos específicos.

“Com a determinação de qual é o comprometimento na articulação, podemos desenvolver outros trabalhos e definir novas condutas terapêuticas” diz a autora do trabalho, a fisioterapeuta Sandra Atayde. A alteração dos tecidos das articulações de diabéticos resulta em tendinites e artroses, que provocam dores, desconforto e rigidez, e pode comprometer a locomoção.

Segundo Sandra, já existem trabalhos que mostram que o excesso de açúcar no sangue compromete as articulações, no entanto, seu trabalho, orientado pela professora Walcy Rosolia Teodoro da FMUSP, identificou o que acontece com o colágeno. A pesquisa de doutorado foi defendida em fevereiro de 2012.

A diabetes melittus é uma doença caracterizada pela crise no metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas. Segundo dados de 2007, da Secretaria de Atenção à Saúde, o Brasil tem quase 6,5 milhões de diabéticos na população adulta, e quase 20% da população com mais de 65 anos apresenta a doença.

Colágeno

Com o intuito de avaliar os impactos do problema na composição de estruturas como cartilagem articular, sinóvia, ligamentos e tendões, foi aplicado um modelo experimental, no qual ratos foram induzidos ao diabetes.

Fonte: Exame

Post relacionado

Deixe uma resposta