Menu fechado

Estudo mostra a ligação entre horas de TV e obesidade infantil

Um estudo canadense aponta que cada hora adicional à qual uma criança entre dois e quatro anos é exposta semanalmente à TV poderia aumentar em meio milímetro sua circunferência abdominal e consequentemente reduzir seu tônus muscular.

O estudo, publicado no periódico científico BioMed, analisou o comportamento de 1.314 crianças e concluiu que o máximo de exposição à televisão deve ser de duas horas diárias nessa faixa etária.

Os pesquisadores concluíram que, no início do estudo, a maioria das crianças assistia a uma média de 8,8 horas de TV por semana.

O valor aumentou em seis horas nos próximos dois anos até chegar a uma média de 14,8 horas por semana quando as crianças atingiram a idade de quatro anos e meio.

Entre os participantes do estudo, 50% já estavam assistindo a 18 horas semanais nesta idade, de acordo com os pais.

A pesquisa concluiu que crianças de quatro anos e meio que assistiam a 18 horas semanais de TV tiveram um aumento de 7,6 milímetros em suas circunferências abdominais até chegarem aos dez anos de idade.

TÔNUS MUSCULAR – Além do aumento de circunferência abdominal, os pesquisadores analisaram os efeitos do hábito de assistir à TV sobre o tônus muscular e capacidade atlética da criança.

O estudo concluiu que cada hora além das duas estabelecidas como máximo por dia pode diminuir em 0,36 centímetros a distância que uma criança consegue saltar.

Os especialistas admitem que é necessário aprofundar as pesquisas para esclarecer se o comportamento das crianças diante da TV é, de fato, o único fator a influenciar os aspectos analisados.

Linda Pagani, da Universidade de Montreal, disse que os resultados servem de alerta sobre os fatores que podem levar à obesidade infantil.

“Na prática, o resultado é que assistir muita televisão – além da quantidade recomendada como o máximo não faz bem”, disse.

O valor de duas horas diárias citadas pelo estudo é o estipulado como o máximo saudável pela Academia Americana de Pediatria.

HÁBITOS – “Nas últimas décadas, em todo o mundo ocidental houve um aumento drámatico nos níveis de peso além do saudável tanto em crianças como adultos. Nosso padrão de vida também mudou, priorizando práticas sedentárias e alimentos de preparo fácil e ricos em calorias”, acrescenta Pagani.

Para a especialista é necessário que os pais prestem mais atenção aos hábitos de seus filhos diante da TV.

“Assistir televisão demais não só coloca em segundo lugar outras formas de educação e a busca por atividades de lazer mais ativas, mas também aumenta o risco de as crianças aprenderem informações incorretas sobre hábitos alimentares saudáveis.”

O estudo diz que os hábitos adquiridos na infância podem tornar-se parte do comportamento na idade adulta, afetando, por exemplo, a prática de esportes.

Fonte: ne10

Post relacionado

Deixe uma resposta